she is!!” – amor e preconceito em animação coreana

A história já é velha: amor impossível entre dois indivíduos gerando manifestações de apoio e de repulsa pelos outros. Entretanto, There she is!!, uma animação coreana (que são conhecidas como manhwa), faz isso de uma maneira singular. A começar pelos personagens, que são um gato (Nabi) e uma coelha (Doki). Sim, a primeira vista pode parecer bem miguxo, mas não se deixe enganar pelas aparências. A história (que é contada em 5 partes) ganha intensidade e contornos dramáticos a partir do 3º episódio.

Outro diferencial da animação é que ela foi produzida originalmente em Flash, o que lhe garante leveza estética e bastante agilidade. Não existe nenhuma fala, mas cada episódio possui como tema de fundo uma música pop coreana. Detalhe, os vídeos duram o tempo das músicas. Existem também alguns elementos surreais bem divertidos (coisa comum em animações orientais), como quando Nabi é perseguido por um bando de animais selvagens no 2º episódio (sendo um dos animais um rinoceronte).

Por fim, a história de Nabi e Doki levam a uma reflexão que também é velha, mas (pro bem ou pro mal) continua atual: como as relações individuais são influenciadas e influenciam o entorno social. A história de There she is!! está repleta de elementos de preconceito e intolerância, especialmente raciais. E a relação deles provoca tanto incômodo que influencia as "pessoas" (na verdade os outros gatos e coelhos) a volta a tomarem partidos pró e contra o namoro. Inclusive com conflitos entre os grupos (alguém aí pensou nas diversas crises do Oriente Médio?). Mas o desfecho é bastante interessante. Inclusive, prestem atenção no último episódio pois ele possui várias informações de "entrelinhas".

Em suma, uma história bonita e muito rica para se trabalhar em ambientes educacionais (e também fora deles). Como não existem falas, pode ser trabalhado em qualquer nível. E eu acho que gera boas discussões, variadas de acordo com a idade dos expectadores. Eu particularmente achei bastante rica de significados a cena dos cachecóis pendurados nas árvores, no 5º episódio (mas estou evitando falar muito pra não estragar o prazer da descoberta da história)… 

Abaixo estão os links para baixar os episódios, em Flash, o que também pode ser feito diretamente da página dos produtores (onde vocês encontram mais detalhes). Ah, em tempo, eu fiquei sabendo dessa animação nessa publicação do divertidíssimo blog Eu podia tá matando, que, inclusive, possui links para assistir os vídeos no YouTube (mas a qualidade do Flash é BEM melhor).

Caso não estejam aparecendo os selos dos episódios acima, é possível acessá-los pelos links abaixo: