A História das Coisas

Acabei de assistir a um vídeo fantástico, chamado "History of Stuff" (que, traduzido, ficou "A História das Coisas"). É um vídeo simples, extremamente didático e muito lúcido, que mostra a cadeia produtiva desde a extração da matéria-prima até o despejo, no lixo, das "coisas", e explica porque esse processo é incompatível com a manutenção da vida a longo prazo no nosso planeta.

O áudio original é em inglês. A versão que eu vi está no Google Video, legendada em português de Portugal. Mas existe o sítio oficial, onde é possível baixar uma versão para o seu computador, infelizmente sem legenda.

É um documentário curto (20 minutos), mas é fantástico para ser utilizado em sala de aula, pois abre espaço para muita discussão. E também para nos fazer pensar um pouco mais sobre o custo oculto do nosso consumo.

Entrevista com o Nelson Pretto

O Professor Nelson Pretto, da Faculdade de Educação da UFBA, é um dos pioneiros na discussão do uso de tecnologias em sala de aula. Ele mantém uma página (divertidamente caótica) e um blog (BEM mais organizado).

Acompanhando o blog Ciberespaço na Escola da Vanessa dos Santos, vi um vídeo, disponível no YouTube, de uma entrevista dele. Vale a pena assistir, tanto pela lucidez das idéias como pela forma didática que ele as apresenta. Obrigatório para todos os educadores. Valeu, Vanessa, pela garimpada! Smile

Ilustrações científicas do Ernest Haeckel disponíveis na rede

Numa época em que não existia a fotografia, o registro de imagens científicas (especialmente as biológicas) era feito por meio de desenhos à mão. É importante ressaltar que as pessoas que faziam essas ilustrações tinham que ser muito criteriosas, para reproduzir os detalhes com o máximo de exatidão. Dessa forma, alguns desses trabalhos são verdadeiras obras de arte. E um desses "artistas" mais famosos foi o naturalista alemão Ernst Heinrich Philipp August Haeckel.

Eu, que já sou um grande fã das ilustrações do Haeckel desde a época da faculdade, fui brindado com uma boa surpresa hoje. Através dessa publicação da Miriam em seu blog, cheguei até duas páginas geniais. Uma com várias imagens tiradas dos trabalhos do Haeckel e com fundo transparente (perfeitas para usar como fundo de tela ou em sítios de Internet) e outra com as ilustrações originais escaneadas (e as páginas descritivas com o nome de cada exemplar representado). As obras são belíssimas e irão agradar não somente aos biólogos como também qualquer pessoa que aprecie arte.

Aqui você encontra as imagens com fundo transparente e aqui os originais.

Os animais salvam o planeta

A idéia é simples (e nem tão original assim). Pegue uma série de animais, dê um tratamento "antropomórfico" a eles e use-os para passar uma mensagem importante. Isso funciona particularmente bem com crianças, pois desperta muito a sua atenção. Agora a forma de implementar essa idéia é que faz toda a diferença.

E o sítio The Animals Save the Planet, desenvolvido pelo canal de TV por assinatura Animal Planet faz esse trabalho com maestria. Tanto na produção visual das páginas, que tem um aspecto de terem sido produzidas com massa de modelar, quanto na qualidade dos vídeos. Esses são curtos e cada um passa uma mensagem de preservação ambiental diferente. Mas sem serem sisudos ou moralistas. Muito pelo contrário! Alguns, como o vídeo inicial, que mostra uma vaca com alguns problemas de… gases… são simplesmente hilários! E o sotaque inglês carregadíssimo dá um toque especial a eles.

Pena que nem todas as seções do sítio são acessíveis no GNU/Linux (por culpa do flash, não do navegador), mas pelo menos dá pra ver todos os vídeos e as "fichas dos personagens". Visita imperdível!

Agregador de blogs educativos

Existe um grupo de discussão muito legal pra quem se interessa pelo uso da Internet na educação que é o Blogs Educativos. Apesar do nome, lá se discutem outras tecnologia além do blog, apesar desse ser o tema mais recorrente. As discussões são sempre de alto nível e as pessoas são muito bacanas e sempre prontas a ajudar. Vale a pena assiná-lo.

Como praticamente todo mundo que participa do grupo mantém um blog, surgiu a idéia de agregá-los em um sítio usando o software Planet. Assim, além de ficar mais fácil acompanhar as publicações, ajuda também a divulgar os blogs em si. Pra quem quiser acompanhar o agregador, o endereço é: http://blogseducativos.teia.bio.br.

E pra quem possui um blog que tenha um cunho educativo, assine a lista e peça lá para que ele seja acrescentado ao agregador.

IBGE cria sítio com informações de vários países

Quem viveu o final da infância ou a adolescência durante a década de 80, deve se lembrar do sucesso que fazia uma publicação da Editora Abril chamada Almanaque Abril. Era um volume grosso, que continha uma série de informações sobre o mundo, entre elas dados dos países, como, por exemplo, população, idioma, extensão, entre outros. O Almanaque Abril ainda existe, mas já não tem o seu glamour de outros tempos, especialmente por causa da Internet, onde é possível encontrar todas essas informações.

E um sítio que resgata um pouco desse charme dos almanaques, mas usando uma série de recursos bem atuais é o Países@, do IBGE. Nele é possível chegar ao país navegando por um mapa-mundi que ocupa toda a tela (ele é aberto em uma nova janela do navegador). Ao se clicar no país, aparecem diversas informações, agrupadas em 8 temas (selecionáveis em uma barra de ferramentas no alto do mapa): síntese (com detalhes gerais, como idioma, população, bandeira, entre outros), população, indicadores sociais, economia, redes (telefonia e Internet), meio ambiente e objetivos do milênio (que na verdade não é por país, mas uma espécie de "compromisso mundial").

O sítio é muito bem feito, funciona perfeitamente no Firefox e é bem funcional. Inclusive conta com uma ajuda bem detalhada sobre o uso da interface. Vale constar nos marcadores dos estudantes e dos curioso em geral.

WiZiQ, uma “sala de aula virtual” com recursos interessantes

Existe um sítio bem interessante para os interessados na área educacional. É o WiZiQ. Ele oferece funcionalidades para pessoas interessadas tanto em ensinar como em aprender. As pessoas se cadastram no sítio e, ao fazê-lo, elas se tornam alunos. Com isso elas podem participar de sessões oferecidas por outras pessoas, com status de professor. O interessante é que qualquer um pode se tornar professor. Basta preencher um formulário com detalhes sobre o que gostaria de ensinar no sítio.

O WiZiQ ofere um calendário para agendamentos de sessões, a possibilidadede envio de material nos formatos ppt, pps, pdf, swf, doc, docx, xls, and xlsx (sim, não oferece suporte ao formato ODF, o que é uma falha) e uma "sala de aula virtual", que possui suporte a áudio bidirecional, bate-papo e quadro de apresentações. E tudo isso gratuitamente, basta se cadastrar. Infelizmente o sítio encontra-se todo em inglês, o que pode ser uma barreira inicial. Mas nada que um pouco de prática possa superar, pois o uso do sítio é bem intuitivo.

Os professores podem oferecer aulas on-line ou presenciais e podem cobrar por isso. Assim, o sítio acaba funcionando também como uma espécie de "classificados" para professores.

É um serviço bem promissor e que abre possibilidades interessantes para a área educacional. Pena que não apresenta suporte a ODF, mas isso é algo que, talvez, possa ser modificado no futuro. Espero que eles considerem essa possibilidade.

Adoção de software livre na Itália

Acabei de receber a indicação de um vídeo do YouTube, acerca de uma reportagem da RAI, canal de televisão italiano. Esse vídeo, que é de programa ou bloco de jornal (não fica claro) chamado GoodNews (por que será que um canal italiano escolheu um nome em inglês?). Pelo que eu entendi, a idéia é apresentar uma "boa notícia" (provavelmente para contrapôr a enxurrada de "más notícias" que os jornais geralmente apresentam).

Pois esse programa apresenta justamente a adoção de software livre na província de Bolzano, na Itália. Gostei disso ter sido considerado uma "boa notícia"… 🙂

Apesar do foco da reportagem ser muito a questão financeira e a economia gerada pela adoção do software livre, vale a pena assisti-la, pelas informações apresentadas e a forma como o processo ocorreu. Mais interessante ainda é que logo no início da reportagem aparece uma sala de aula repleta de computadores, todos eles rodando o software educacional GCompris! Minha alegria se deve ao fato de eu estar coordenando o projeto GCompris Brasil, responsável pela tradução e divulgação desse maravilhoso software. Bom saber que ele é um bom exemplo de adoção de software livre. 😉

Pra quem não fala italiando, não tem problema. Ele está legendado… em espanhol… 😉

O link para a reportagem é: http://www.youtube.com/view_play_list?p=3513ADF9F4A1F163