out 122014
 

Um dos motivos do Aécio ser popular é que, aqui em Minas, não sai absolutamente nada de negativo sobre ele. Em junho de 2006, o então estudante de jornalismo Marcelo Baêta produziu, como trabalho de conclusão de curso, um documentário chamado "Liberdade, essa palavra". Esse vídeo apresenta fatos que mostram essa manipulação e foi citado em várias reportagens. Inclusive em uma que o Le Monde Diplomatique francês analisava o governo tucano aqui no estado. Abaixo a citação de uma publicação do blog do Marcelo Baêta, onde ele coloca links para o vídeo e para outros lugares onde ele foi citado.

#^LIBERDADE, ESSA PALAVRA

Image/photo

O vídeo-documentário "Liberdade, essa palavra" aborda a relação de Aécio Neves com a imprensa no seu primeiro mandato como governador de Minas Gerais (2003/2006). Foi feito como trabalho de conclus…

out 122014
 

Sabem aquele porto que a direita vive falando que o governo federal "deu" pra Cuba? Pois é…




Porto de Mariel – Cuba: Diretor da Fiesp explica sua importância estratégica para o Brasil
by MrFortalezaDigital on YouTube

Pior que nem podem falar que é vídeo falso do PT. É uma reportagem do Jornal da Record e quem está falando é o diretor da Fiesp. E destaque para a fala que se inicia a partir de 7:25, onde o Heródoto chama a atenção de que essa é uma explicação econômica e não puramente política.

maio 262014
 

Que tal uma página com vários paineis do que está rolando agora no planeta, do ponto de vista climático e sismológico? Pois é, essa página existe e está em português. O nome é Painel Global e pode ser acessado pelo endereço: http://www.painelglobal.com.br.

A página é bem poluída, pois possui várias fontes de informação, além de diversas propagandas. Mas o painel que aparece no alto da tela é muito bacana de se ver. Eles não explicam muita coisa do funcionamento, mas pelo que eu entendi, as informações são atualizadas no painel por uma equipe local. Ou seja, as informações do painel não são em tempo real. Mas ainda assim é bem bacana de ver o que está rolando agora no mundo.

Essa dica veio do @Albino_Biasutti_Neto lá do Diaspora*.

maio 132014
 

Pois é. Nessa discussão toda do acordo do MEC com a Amazon (que eu comentei aqui), rolou uma audiência pública e eu só fiquei sabendo depois que ela passou.  🙁  Ainda não ouvi a fala toda – que está disponível aqui – mas abaixo a Tereza Kikuchi compartilhou um atalho para a fala dela na audiência e é genial! Inclusive explica muito didaticamente os problemas do DRM.

Uma fala ótima e vale a pena ser divulgada.

Tereza KikuchiTereza Kikuchi wrote the following post 18 hours ago
Audiência pública discute o mercado do livro digital no Brasil.
Deixo abaixo o link de minha fala na Câmara dos Deputados sobre o Projeto de Lei 4.534 de 2012, que atualiza a definição de livro e a lista de equiparados a livro. #^Comissão de CulturaImage/photo

Comissão de Cultura

#epub #book #freesoftware #openscience #OKF #FSF #DRM #creativecommons #copyleft #kopimism #Amazon #LivrariaCultura #Kindle #Kobo #Democracy #Freedom #SoftwareLivre #SoftwareLibre #LivroLivre #CulturaLivre #ConhecimentoAberto #CiênciaAberta #Wikipedia #education #Política #CâmaradosDeputados #Brasil #Brazil #PolíticaNacionaldoLivroNoBrasil #AudiênciaPública

maio 062014
 

A minha agenda para o FISL desse ano está bem cheia. Além de participar, enquanto parte do GT-Educação, da organização das atividades e do Espaço Paulo Freire, estarei presente também em quatro apresentações. Seguem abaixo, junto com o link para a página da atividade no sítio do FISL:

Morreu o Movimento Software Livre no Brasil? – 08/05 – 10:00h – Sala 41A
Essa vai ser uma mesa divertida. Tudo começou quando o Anahuac escreveu um artigo falando que o movimento de software livre havia morrido aqui no Brasil, sendo suplantado pela lógica do "código aberto". Eu fiz um comentário lá com algumas ponderações e aí o Alexandre Oliva resolveu fazer uma mesa sobre isso. Ou seja, falei demais e agora eu tô lascado.  🙂  Se eu não der sinal de vida até as 12 horas, alguém por favor chame o resgate.

Sorria: Você pode não estar sendo espionado. Como obter segurança e privacidade para comunicação na rede – 08/05 – 15:00h
Essa vai ser uma oficina de três horas (tempo proporcional ao título da atividade) 🙂 em que eu estarei junto com o pessoal do Actantes para discutirmos privacidade e segurança em ambientes digitais. Eu vou trabalhar a questão da "identidade digital", onde apresentarei as opções pra quem quer montar seu próprio cantinho na web. Vou apresentar a proposta do Vilarejo Pro e, obviamente, fazer ampla propagada das duas melhores mídias digitais do universo conhecido!!! ~friendica e red#  😀

Nativo digital ou hacker: Você escolhe – 10/05 – 11:00h
FISL sem o Antônio reclamando não tem graça. Por isso vou me juntar a ele nessa mesa, onde a gente vai questionar conceitos, falar mal do status quo e brigar com quase todo mundo. Vai ser uma mesa cheia de dedos. Todos prontos para promover a "inclusão digital"! Provavelmente não vamos sair vivos de lá, por isso nem se preocupem em chamar o resgate pra essa.

Software Livre e Veganismo: um link possível? – 10/05 – 15:00h
Na improvável hipótese de eu sair vivo da mesa anterior, estarei em uma roda de conversas junto com integrantes do grupo Princípio Animal para discutirmos a relação existente entre os movimentos de software livre e de direitos dos animais (e veganismo em particular). E porque é incoerente brigar pela liberdade do software e ignorar a liberdade dos animais não humanos. Ou seja, lá vou eu caçar mais briga.  🙂

Então é isso. Nos vemos no FISL!

abr 232014
 

O músico Jarbas Agnelli viu uma foto no Estadão em que apareciam pássaros pousados em uma rede elétrica. Como aquilo lembrava notas em uma partitura, ele resolveu produzir uma música pra ver no que dava.
Image/photo

O resultado é lindo (eu cheguei a ficar emocionado)! E fez sucesso no mundo inteiro. Aqui está a música que ele criou:




Birds on the Wires
by Jarbas Agnelli on Vimeo

E aqui uma apresentação dele no TEDxSP contado a história toda. Vale a pena ver, inclusive porque ele fez uma versão estendida da música e toca ao vivo no final:




TEDxSP 2009 – Jarbas Agnelli: “Birds on the wires”, a história e a música por trás de uma foto
by TEDxSP on YouTube

A máxima de que "a poesia está nos olhos de quem vê" nunca foi tão verdadeira. E fica a lição de que pássaros produzem música até quando não cantam.  🙂

(a dica veio dessa publicação)

@Brasileiros na RedMatrix

abr 022014
 

Pra quem ainda acha que rodeios são eventos da cultura brasileira e acredita nas balelas de que os animais não sofrem, deem uma lida no relatório que está anexo a essa mensagem.

NADA justifica um "espetáculo" que promove a tortura de animais para entretenimento humano. O problema é que essa é uma atividade que envolve muita grana, tanto para os organizadores quanto para os patrocinadores. E muitos políticos se envolvem nisso, porque essas festas são um palco cheio para pedir votos, pois sempre, infelizmente, atraem a atenção de muitas pessoas.

Já passou da hora de darmos um basta a isso.

Image/photo

abr 022014
 

#^Estudantes invadem sala de aula na USP após professor defender golpe de 1964

Image/photo

Alunos de Direito fizeram ‘escracho’ em sala de aula no Largo de São Francisco após professor defender golpe de 1964

O bacana é que foi tudo filmado, desde antes da entrada dos alunos, o que dá pra ter uma ideia do quão reaça é o professor (o vídeo está no final da reportagem). Um destaque para esse trecho do texto que o sujeito leu para os alunos (esse trecho foi lido antes do vídeo começar a ser gravado), onde ele traça um "perfil da sua personalidade":

"Durante minha infância/adolescência, consolidei em silêncio minha opção íntima pelo seguinte perfil de personalidade, em ordem alfabética: a) aristocratismo; b) burguesismo; c) capitalismo; d) direitismo; e) euro-brasilidade; f) família; g) individualismo; h) liberalismo; i) música erudita; j) panamericanismo; k) propriedade privada; l) tradição judaico-cristã. Nos tempos atuais, mantenho em meu íntimo, de modo pétreo, as doze opções da minha infância/adolescência"

É triste ver como o perfil dele consegue reunir alguns dos atributos que eu considero mais abomináveis no ser humano. E mais triste ainda por imaginar que, se ele ainda dá aula na USP, é porque tem gente que concorda com esse perfil (ou tem preguiça demais para fazer qualquer coisa contra ele)…

mar 282014
 

Gente, após essa indicação do @Actantes eu resolvi assistir o vídeo do tal professor do Mackenzie e fiquei horrorizado. Ele fala muita bobagem e eu fiquei tão incomodado que fiz um comentário no vídeo e também enviei uma mensagem para o Heródoto Barbeiro. A parte mais curiosa do vídeo é justamente no início, em que ele fala que se os dados fossem tratados todos iguais, seria um socialismo na Internet, em contraponto com o que deveria acontecer, que é uma república democrática. Essa fala é muito significativa porque mostra que ele defende que, em uma democracia, as pessoas deveriam ser tratadas de forma diferenciada, ou seja, as democracias deveriam perpetuar as diferenças sociais. Com isso, em uma única fala ele demonstra que: tem um alinhamento de direita e não tem a menor noção do que é socialismo e democracia, ao colocar esses termos como antagônicos.

E como essas nossas participações costumam "sumir" de redes às quais não controlamos (e a mensagem foi direto para o Heródoto e não como um comentário), publica abaixo minhas duas mensagens.

————————
Comentário no vídeo do YouTube:

Gente me desculpem, mas o professor fala MUITA bobagem. A fala dele é preconceituosa, ele não tem noção de como o Marco Civil foi construído e nem o que é socialismos/comunismo/democracia. Afinal de contas, ao afirmar que quando os dados são tratados de forma igual isso é socialismo e que isso não é uma república democrática. Isso quer dizer que em uma democracia as pessoas tem que ser tratadas de forma diferenciada? Ou seja, diferenças sociais são inerentes às democracias?
Neutralidade da rede NÃO é o que ele fala. Primeiro porque o acesso pleno à Internet só funciona por ela ser neutra (apesar dele achar que ela não é). Segundo porque ele confunde DADOS com SERVIÇOS. Se os provedores não pudessem dar tratamento diferenciado aos CLIENTES, não seria possível um provedor oferecer velocidades diferentes. Como disse acima, a neutralidade é no tratamento de DADOS e não de SERVIÇOS. Não se está regulando MERCADO. Estão se regulando questões técnicas. E mesmo se a discussão fosse de mercado, se concorrência fosse boa (como ele defende firmemente), teríamos o melhor serviço de telefonia celular do mundo, afinal de contas temos várias operadoras e esse é um mercado livre. É essa qualidade existe?

Por favor, gente, procurem saber o que é realmente neutralidade na rede antes de saírem repetindo as bobagens desse vídeo. Os ÚNICOS beneficiados com a quebra da neutralidade são os provedores de acesso à Internet. E todo mundo já conhece a qualidade desses serviços aqui no Brasil também…

————————
Mensagem enviada para o Heródoto

Prezado Heródoto,
Assisti agora (via YouTube) a entrevista sobre Marco Civil com o Professor do Mackenzie, Rodrigo Mezzomo. Falo de Belo Horizonte, MG (não consegui entrar com esse dado no formulário, não funcionou no meu navegador).

Desculpe-me, mas ela é péssima. Você fez as perguntas corretas (inclusive lhe parabenizo pelas suas colocações, muito bem feitas na entrevista), mas as respostas que o professor lhe deu foram bastante equivocadas.

Neutralidade na Internet NÃO é isso que ele define. Se os provedores realmente não pudessem dar tratamento diferenciado aos clientes, não existiriam hoje planos de velocidade diferenciada. A neutralidade da Internet refere-se aos DADOS e não aos SERVIÇOS. Inclusive existem empresas que defendem a neutralidade, como a gigante Netflix, afirmando que o modelo de negócios deles seria seriamente prejudicado caso a neutralidade não ocorra (ou seja, o contrário do que ele diz, ao afirmar que o fim da neutralidade acabaria com modelos de negócios).

Portanto gostaria de pedir, se fosse possível, que fosse feito um esclarecimento isento sobre essa questão, sem a necessidade de defender ou atacar o assunto, mas, simplesmente, explicar. Afinal de contas, opiniões divergentes são sempre bem vindas e existem pontos do Marco Civil que são passíveis de interpretação diferenciada. Mas a fala do professor não foi somente opinativa, foi desinformativa. Ele não exprimiu sua opinião sobre o assunto, ele distorceu os conceitos. E um jornal sério como o Record News deveria ter o cuidado de não propagar esse tipo de equívoco.

Um grande abraço e até mais.

Frederico

mar 202014
 

Por favor, alguém fala pra mim que esse vídeo veio de uma realidade alternativa.

No início eu achei que fosse uma brincadeira. Mas aí eu vi que a coisa é séria… Tem tanta coisa bizarra no vídeo que nem fica até difícil comentar. Então, deixo por conta de vocês.

Claro que a fala do Bruno Toscano, organizador da marcha, sobre dono do mundo me fez lembrar imediatamente desse outro vídeo:

Será que a marcha vai marcar o retorno do King Size? Mistério….