Tardio, mas não ausente, meu relato sobre o LaKademy 2018

Mais de um mês depois, finalmente consegui me organizar para falar um pouco sobre o LaKademy 2018. Esse evento, que é o encontro latino-americano dos desenvolvedores e contribuidores da comunidade KDE, aconteceu esse ano em Florianópolis, do dia 11 ao dia 14 de outubro. Mais detalhes sobre o evento podem ser encontrados nessa bela matéria, publicada no sítio web da comunidade KDE Brasil.

Essa foi minha terceira participação e, como nas edições anteriores, meu foco foi na organização, planejamento e execução de tarefas relacionadas à tradução de softwares e documentação. Detalhes mais adiante nesse artigo.

O trabalho, como sempre, foi árduo. Chegávamos ao local do evento por volta das 8:30h da manhã e nunca saíamos antes das 18h. Entretanto, a energia do LaKademy é tão boa que nem sentíamos as horas passando. E é sempre um prazer enorme poder reencontrar os amigos antigos da KDE, bem como fazer novas amizades.

E dá-lhe povo trabalhando!

E por falar em novas amizades esse ano foi bem especial. Além de contarmos com a maior participação de pessoas até hoje em um LaKademy (23 pessoas!), tivemos, dentre essas a presença da professora Karina Mocheti, que levou seis dos seus alunos (Carlos Henrique, Edoarda, Fernando, Hugo, Lucas e Luan)  de Ciência da Computação da Universidade Federal Fluminense de Niterói. O objetivo deles era trabalhar as aplicações do pacote KDE Edu. E, de cara, já foram pra cima do GCompris, Kalzium, Rocs e Kturtle. Nossa esperança é que eles continuem atuando nesses e em outros softwares da KDE. Aliás, entre os frutos desse LaKademy temos a correção de um bug antigo e chato do script que baixa/atualiza os arquivos de tradução das aplicações KDE. A codificação de caracteres estava errada e mostrava símbolos no local dos acentos. Esse erro foi corrigido pela Edoarda (que já mostrou pra essa comunidade a que veio) e já está disponível no repositório (é a versão 5.1).

Fizemos também a tradicional reunião de promo, onde discutimos formas de atuação da comunidade para os próximos meses. Uma discussão que ocupou grande parte de nossa reunião foi a priorização de uma comunicação não violenta em nossos canais de comunicação. Não só praticar essa comunicação como estimular as outras pessoas a adotarem esse tipo de abordagem. Estamos também com a proposta de tentarmos participar mais ativamente de eventos no próximo ano, para divulgar mais a nossa comunidades e nossas aplicações. E claro que rolou a não menos tradicional foto do grupo, que ficou muito linda com as camisetas desse ano.  😉

Esse povo não cansa de ser bonito não? 😉

Por fim, por uma feliz coincidência, o aniversário da KDE coincidiu com o último dia do evento. Com isso tivemos comemoração com direito a bolo e refrigerante (e mais uma foto).  😀

Comunidade que comemora aniversário unida, permanece unida!

E as traduções? Como ficam?

Nesse ano conseguimos avançar um pouco mais em relação a uma melhor forma de trabalharmos o fluxo de traduções. Explicando de forma bem breve, atualmente um grupo de tradutores possui privilégio de desenvolvedor na infraestrutura da KDE e consegue baixar e enviar as traduções diretamente para o Subversion que versiona esses arquivos. Estamos então com a proposta de criar a figura do “tradutor iniciante”, que seria alguém interessado em traduzir, mas que não tenha esses privilégios. Essa pessoa faria as traduções e as enviaria para algum dos tradutores veteranos fazerem a atualização do Subversion. Caso essa pessoa tenha interesse em se tornar um membro participativo da comunidade (e esteja efetivamente contribuindo), após algum tempo ela receberia os privilégios de desenvolvedor e poderia enviar, ela mesma, as traduções.

Além dessa proposta de fluxo, também criamos um grupo no Phabricator para podermos organizar melhor os nossos trabalhos. Nesse grupo ficarão registradas as atividades em andamento, as atrasadas e as futuras, para que possamos melhor nos organizar em nossos trabalhos. Vamos estimular também a abertura de bugs para erros de tradução encontrados pelos usuários. Atualmente temos pelo menos uma pessoa que abre esses bugs regularmente e tem funcionado muito bem.

Por fim, estamos atualizando toda a documentação do site da KDE Brasil para melhorar o suporte a tradução e também a novos contribuidores. A Camila e a Bianca trabalharam duro no LaKademy em cima disso.

Agora é seguir em frente com a comunidade. E viva a KDE!

KRunner e buscas no menu de aplicações encerrando o Plasmashell na Debian Buster

Recentemente comecei a passar por um problema muito chato no KDE Plasma, aqui na minha Debian Buster (atualmente a versão testing). Toda vez que começava a digitar alguma coisa no KRunner (aquela aplicação que é aberta apertando-se Alt+F2) ou no lançador de aplicativos (o menu de aplicativos do sistema), o Plasmashell era encerrado, com uma mensagem de erro. Isso estava me enchendo a paciência, porque eu praticamente não busco mais aplicações navegando pelo menu. Acho muito mais simples e rápido usar o KRunner, começar a digitar o nome da aplicação e abri-la diretamente.

Mas graças ao amigo PedroArthur (vulgo JEdi), resolvi o problema. Ele descobriu que existe um bug do KRunner com o histórico do Firefox. A Debian empacota o Firefox ESR e o KRunner espera a API das versões mais novas. Esse bug também se aplica ao lançador de aplicativos. Com isso, existem duas soluções possíveis: atualizar o Firefox manualmente para uma versão mais nova ou mudar as configurações do KRunner e do lançador. Optei pela segunda, porque me daria menos trabalho (e eu posso muito bem viver sem incluir meus favoritos na pesquisa por aplicações).

É bem simples alterar as configurações (e elas devem ser alteradas em ambos os aplicativos). Para alterar a do KRunner, aperte Alt+F2 para ativá-lo e clique no botão de preferências, que é aquele que aparece à esquerda de onde se digitam os comandos. Na tela que se abre, procure por “Favoritos – Localiza e abre favoritos” e desmarque essa opção. A figura abaixo indica o botão de preferências na tela do KRunner.

Para o lançador de aplicativos, clique no ícone do lançador com o botão direito e selecione a opção “Configurações de Lançador de aplicativos…”. Na tela que se abre, desmarque a opção “Expandir a pesquisa nos favoritos, arquivos e e-mails”. O local dessa opção, nas preferências do lançador, está indicado abaixo.

Feito isso, o problema está resolvido e já posso usar meu KRunner normalmente. 🙂

Anunciada a Season of KDE 2018

Que tal colaborar com a comunidade KDE e ainda concorrer a passagens e estadia para o Akademy 2018, que vai acontecer lá em Viena?

Pois é, já saiu o anúncio para a Season of KDE de 2018 e tem umas novidades interessantes esse ano, entre elas a possibilidade de projetos de integração aplicações KDE em outros ambientes desktop e vice-versa.

Maiores informações na publicação disponível no sítio da comunidade KDE-Brasil.

Anunciada a Season of KDE 2018 | KDE Brasil

O KDE Student Programs tem o prazer de anunciar a 2018 Season of KDE para todas as pessoas que queiram participar na mentoria de projetos que melhorem a KDE de alguma maneira.
Todo ano, desde 2013, o KDE Student Programs realiza a Season of KDE como um programa similar, mas não exatamente igual, ao Google Summer of…

Belo Horizonte… Belos horizontes, para a KDE, no LaKademy 2017

Publicando um pouco atrasado, mas não podia deixar de comentar como foi a experiência de participar de mais um LaKademy, especialmente por ter sido aqui em BH. Não sabe o que é o LaKademy? Dá uma olhada nessa publicação que eu fiz por conta do início das atividades.

Bom, se antes estava na expectativa de como seria o evento, nesse momento eu só tenho satisfação. Foram quatro dias de trabalho intenso, mas que valeram a pena. O evento foi muito produtivo e tudo funcionou dentro do esperado.

Um feriado prolongado inteiro trabalhando, enfurnado em uma sala do CEFET… E sem ganhar nada por isso… É assim que o software livre funciona, meu amigo. Ou você acha que ele dá em árvore? 😉

Como na edição anterior, foquei na parte de tradução e de promo. E nesse ano demos um salto importante em ambas as áreas. Em relação à tradução, desde o ano passado estávamos com a ideia de adotarmos o Vocabulário Padrão (VP) como referência para nossas traduções, bem como migrar sua página para dentro da infra da KDE. E acabamos decidindo migrá-lo para o Drupal, que é o CMS utilizado pela KDE para a hospedagem das suas páginas. Mas tínhamos um desafio que era o de transportar todos os vocábulos já cadastrados no VP para o Drupal, caso contrário teríamos que digitar tudo novamente. Pra se ter uma ideia do tamanho desse problema, são mais de 15.600 (!!!) vocábulos atualmente… Mas depois de muito bater cabeça com testes de módulos para o Drupal (e uma atenção primorosa da equipe técnica responsável por esse CMS na KDE), conseguimos finalmente colocar o VP no ar. Ainda estou trabalhando em alguns detalhes relativos à sua visualização e formas de interação, mas o resultado atual já pode ser visto aqui.

Tela do sítio do KDE Brasil exibindo um trecho do Vocabulário Padrão

O novo Vocabulário Padrão em seu estágio inicial de configuração.

E aproveitando que estávamos mexendo nos módulos para colocar o VP no ar, resolvi dar uma geral na parte digital da KDE Brasil. Em primeiro lugar, junto com o Filipe Saraiva, reativamos o agregador de blogs da nossa comunidade. Antigamente esse agregador funcionava à parte em um Planet, mas ele foi desativado. E uma vez que era a partir dele que as mídias sociais da KDE Brasil era alimentadas, isso virou um problema. Com isso, resolvemos reativar o agregador, mas, dessa vez, também dentro do Drupal da KDE Brasil. E agora isso também está funcionando. Dessa forma, é possível acompanhar, em um único lugar, toda a publicação em português de quem contribui com a KDE.

Em segundo lugar, resolvemos pensar o sítio web como um todo. Pra isso estou trabalhando na reestruturação dos menus e estamos produzindo novos conteúdos e adequando os antigos para essa nova estrutura. Então, em breve (eu espero) o nosso sítio terá novas informações e uma nova estrutura. E com a entrada da Ângela Cunha, que trabalha com design, e do Farid Abdelnour, que está envolvido diretamente no desenvolvimento do Kdenlive, e também tem experiência com a parte gráfica, quem sabe não temos também uma alteração mais significativa em nosso visual?  😉

Por fim, trabalhei junto à Aracele, Bianca e Camila na revisão tradução para o inglês do sítio do LaKademy. Agora só falta conseguirmos uma alma caridosa pra fazer a tradução pro espanhol.  🙂

Foram tiradas muitas fotos ao longo do evento. Então, quem quiser ter uma ideia de como funcionavam nossos trabalhos, é só acessar a galeria de fotos do LaKademy 2017 no Flickr. Rolou até um GIF animado amador…  😉

GIF animado com os participantes do LaKademy 2017

E claro que também tivemos a tradicional foto oficial do evento:

Foto com os participantes do LaKademy

Olha o povo bacana da KDE aí!

Agora é nos prepararmos pra trabalhar bastante, implementando tudo o que foi planejado. E já pensarmos no próximo LaKademy!

LaKademy 2017 começando!

Logo LaKademyE vamos lá pra mais um LaKademy (meu segundo)! E dessa vez tive o prazer de conseguir trabalhar na organização para trazê-lo para a minha cidade, Belo Horizonte. \o/ Pra quem não tem ideia do que seja o LaKademy, temos um sítio web (ainda em fase de finalização). E uma publicação com mais detalhamentos sobre o evento desse ano no sítio do KDE-BR.

Banner do LaKademyEstamos aqui no Campus I do CEFET-MG para mais um encontro de muito trabalho, mas também muito prazer, Novamente estarei trabalhando na parte de tradução e promoção e vou tentar puxar alguma coisa de ambiente desktop aqui. Vamos ver no que dá.

Infelizmente o primeiro dia do evento coincidiu com o dia da greve geral, o que nos deixou incomodados. Mas a logística pra trazer pessoas de vários lugares do Brasil e as limitações orçamentárias tornariam inviáveis qualquer alteração na programação do evento, que já estava planejado desde o final do ano passado. Mas estamos aqui com nossos adesivos e nossa solidariedade ao movimento!

E vamos que vamos!

20 anos do KDE com dois presentes maravilhosos

O projeto KDE faz 20 anos no dia 14 de outubro. E como parte das comemorações, foi produzido um livro digital (de distribuição gratuita) e uma bela linha do tempo (criada pela genial Aracele Torres).

Mais informações sobre o livro no blog do KDE-Brasil.

Lançado o livro “20 Years of KDE”! | KDE Brasil

Image/photo

SEP 5 2016 Enviado por camilaraw Para todos os gearheads desse mundo, a ocasião do Aniversário de 20 anos KDE traz consigo a tradicional, mas ainda não convencional, fatia do nosso bolo virtual –  nosso novo livro chamado “’20 Years of KDE: Past, Present and Future” (20 Anos de KDE: Passado, Presente e Futuro) vem como a cereja do bolo.Com …

Do primeiro LaKademy a gente nunca se esquece…

Logo do LaKademy 2016Nesse ano eu tive o prazer e a honra de ser convidado para participar do meu primeiro LaKademy. Pra quem não conhece, essa é a conferência de usuários e colaboradores do KDE na América Latina. O evento desse ano aconteceu no Rio de Janeiro, nas dependências da UNIRIO, que fica no belíssimo bairro da Urca, bem aos pés do bondinho do Pão de Açúcar. Pois é… E nem foi dessa vez que eu realizei meu desejo de andar nele…

Como (ainda) não tenho cacife pra ser desenvolvedor, participei em duas frentes no evento: tradução e promoção. Em relação ao primeiro tema, eu, a Aracele Torres e a Camila Moura trabalhamos junto discutindo como poderíamos aprimorar o processo de tradução do KDE. Resolvemos partir de uma revisão de todas as traduções disponíveis atualmente, tanto das interfaces quanto da documentação. Isso se deveu ao fato de que várias aplicações contém trechos que foram traduzidos há muito tempo e nunca foram revisados, alguns, inclusive, anteriores ao último acordo ortográfico da língua portuguesa (de 2009). Outro objetivo dessa revisão é gerar uma memória de tradução atualizada e confiável, que será disponibilizada publicamente ao final do trabalho.

Ainda em relação a esse tema, discutimos a manutenção de um glossário de termos, com o objetivo de dar consistência às traduções. É comum, por exemplo, encontrarmos termos que são traduzidos de formas diferentes, às vezes dentro do próprio programa. Nesse ponto tivemos uma feliz surpresa. Após definirmos que usaríamos o Vocabulário Padrão (também conhecido como VP) como referência, descobrimos que o criador da versão atual é o Fernando Boaglio, coordenador da equipe de tradução do KDE para o Português do Brasil. Isso simplificou bastante o trabalho, pois conseguimos acesso ao termos atualmente vigentes no sítio do VP, bem como ao código-fonte da aplicação onde ele roda. Teremos como trabalho agora normatizar esses termos para que eles possam ser livremente utilizados e planejamos uma ferramenta web que seja capaz não só de permitir a consulta aos termos, como também baixá-los na forma de um glossário, que poderá ser utilizado no Lokalize para futuras traduções. E a bola desse desenvolvimento nós passamos para o Henrique Sant’Anna (quem mandou ele ficar perto da gente?) 😉

Já em relação à promoção do KDE, tivemos uma manhã intensa de discussões sobre o que fazer para melhorar o envolvimento das pessoas com o projeto e a sua divulgação. Entre as várias propostas, um dos consensos foi o de termos uma participação mais ativa não só nos grande eventos, como o FISL e o Latinoware, mas também em pequenos eventos locais e no FLISoL. E teremos também nesse ano as comemorações do aniversário de 20 anos do KDE, com propostas de atividades especiais, entre elas a produção de um vídeo sobre o projeto. Ah, e já fechamos a cidade do LaKademy 2017: Belo Horizonte! Inclusive com um local definido (e já confirmado): será nas dependências do campus I  do CEFET-MG, no bairro Nova Suiça. O local já está confirmado, agora é trabalhar na organização do evento.  \o/

Bom, como comentário final, eu adorei o evento! Foram dias frenéticos em que chegávamos por volta das 9:30h e nunca saíamos antes das 20:00h. E o clima era tão bom que nem percebíamos as horas passando. Além disso, foi uma oportunidade ímpar não só de poder colaborar mais diretamente com as pessoas envolvidas no projeto, mas também de podermos planejar os futuros procedimentos de localização do KDE. Com isso, podemos tentar garantir consistência e qualidade nas traduções, o que me deixou bastante animado com a perspectiva. E claro, é sempre um prazer enorme reencontrar meus bons amigos e amigas do KDE, especialmente depois de tanto tempo longe.  😉   E que venha logo o LaKademy 2017, porque já estou com saudades do povo!!!

Foto oficial, porque todo evento bacana tem que ter uma ;-)

Foto oficial, porque todo evento bacana tem que ter uma 😉

Solução (simples) pra quem não consegue entrar no SDDM após atualização do Debian Stretch

Quem usa Debian Stretch com a combinação KDE+Nvidia+SDDM teve uma infeliz surpresa após atualizar os drivers da Nvidia pra última versão e o pacote glx-diversions para a versão 0.6.0: o SDDM dá um erro (mais especificamente o erro é anunciado pelo sddm-greeter) e não aparece mais a tela de autenticação.

Depois de dar uma passeada na rede, achei uma solução bem simples e que resolve o problema: adicionar o usuário sddm ao grupo video. Parece que também é necessário adicionar o seu próprio usuário a esse grupo, mas como o meu já estava nesse grupo, foi só adicionar o sddm que tudo voltou a funcionar perfeitamente. Pra quem não lembra, pra adicionar o usuário ao grupo é só usar o comando abaixo (como root ou usando o sudo:

adduser sddm video

A dica veio desse bug aberto na Debian.