Mudando a “identidade” do seu Firefox

O (suposto) navegador web Internet Explorer reconhece uma série de sintaxes HTML fora do padrão internacional definido pelo W3C. E não reconhece (ou passou a reconhecer tardiamente) alguns elementos que já são padrão, como, por exemplo, o fundo transparente de imagens PNG (se você é um infeliz usuário do IE até a versão 6, vai ver um fundo branco no logo da teia, lá em cima, ao invés da transparência).

Essas incompatibilidades são o inferno dos desenvolvedores web, que acabam tendo que criar truques para adequar suas páginas a vários navegadores. Infelizmente alguns (também supostos) desenvolvedores nem se dão a esse trabalho. Simplesmente criam uma página que, teoricamente, só funciona no Internet Explorer e colocam um aviso de exclusividade de navegador (os famosos "Essa página é melhor visualizada no Internet Explorer"). Alguns outros fazem ainda pior e embutem códigos de JavaScript que simplesmente impedem o seu acesso à página caso você não utilize o (pretenso) navegador. Com isso, muita gente que não estão usando o dito cujo acham que a culpa é do navegador, numa falsa ilusão de que o produto da Microsoft é melhor porque abre qualquer página.

O Firefox pode se identificar como outros navegadoresMas como é que os desenvolvedores sabem qual navegador está acessando seu sítio? Simples. Toda vez que o navegador faz a requisição da página para o servidor onde ela está hospedada, ele envia uma série de informações chamadas User Agent strings, que, normalmente, possuem os seguintes dados: nome e versão do navegador, sistema operacional do usuário e o idioma preferencial. É graças a essas informações que, por exemplo, serviços de estatísticas conseguem dizer quais navegadores chegaram ao seu sítio.

Entretanto você pode alterar essas informações enviadas pelo seu navegador. Pra quem usa o Firefox, é possível fazer isso manualmente alterando as configurações do navegador através do recurso about:config. Ou usar um complemento que simplifica bem o seu trabalho: o User Agent Switcher. Após instalá-lo, sempre que quiser mudar a "identidade" do seu navegador, basta ir até o menu "Ferramentas", escolher a opção "User Agent Switcher" e selecionar a desejada. Inclusive o complemento tem uma opção para acrescentar novas informações de User Agent. Isso, associado às informações disponínveis no excelente sítio User Agent String.Com, lhe dão recursos para assumir a identidade de qualquer navegador, em qualquer sistema operacional e em qualquer idioma.

Experimente esse complemento e supreenda-se ao descobrir que muitas páginas "melhor visualizadas no Internet Explorer", funcionam perfeitamente bem no Firefox.

Novas regras do português no Firefox e OpenOffice.org/BrOffice.org

A notícia não é nova, mas ainda está em tempo de divulgar… 

O projeto BrOffice.org, que cuida da "versão brasileira" do pacote de escritório OpenOffice.org, desenvolveu um verificador ortográfico que já está adequado às novas regras do português. Seu nome é Vero. E o mais bacana é que ele pode ser utilizado em outros aplicativos, além do BrOffice.org/OpenOffice.org. Por exemplo, no navegador Firefox.

Essa publicação do blog Dicas de Informática traz detalhes de como implementar essa solução e deixar o seu navegador indicar os seus erros. Obviamente não é uma solução 100%. Imprecisões podem ocorrer (como em qualquer corretor ortográfico). Mas a sua taxa de acerto é grande o suficiente para ser confiável para nossas publicações. 

Maiores informações de outros usos do Vero podem ser conseguidas na página do projeto.

E, pra finalizar, uma observação. Não é curioso que o software livre tenha se adaptado às novas regras antes do software proprietário, que vive apregoando ser mais eficiente e oferecer melhor suporte?    Mais um bom motivo pras pessoas deixarem de usar aquele outro (chamado) navegador de Internet cheio de brechas de segurança e que não respeita os padrões internacionais.

Como resolver o problema de autenticação do FriendFeed no Firefox

Depois de uma atualização de várias extensões do meu Firefox, comecei a ter problemas com a minha autenticação no FriendFeed. Eu entrava com o meu usuário e senha e o sítio sempre voltava para a tela inicial, ao invés de me levar para a minha área.

Vasculhando as configurações, descobri que estavam faltando alguns cookies do FriendFeed. Como o erro começou depois da atualização das extensões imaginei que o problema fosse com uma delas. Considerando que eu tenho 17 extensões instaladas, vi que teria um bom trabalho pela frente.    Por isso resolvi começar daquelas que seriam mais óbvias. Dei sorte e descobri na minha segunda tentativa que a culpa era do NoScript, uma extensão que me permite controlar quais scripts serão executados em cada página.

Como essa é uma extensão que eu gosto muito, pois tenho um lado paranóico um tanto quanto acentuado aqui na rede, não queria abrir mão dela só pra poder me autenticar no FriendFeed. Por isso resolvi dar uma batida aqui na Internet pra ver se achava alguma coisa…

…e achei, depois de muita insistência…   Nessa publicação do dia 17 de setembro (ou seja, ontem), o Giuseppe Cunsolo, do blog cunsolo.it, dá a solução do problema. E o melhor de tudo, ela é muito simples…

Segundo o autor, a explicação está no FAQ no NoScript, que, traduzido, é mais ou menos assim:

P: Desde que eu habilitei o Gerenciamento Automático de Cookies Seguros [que no programa está ainda no original inglês Enable Automatic Secure Cookies Management] eu não consigo mais autenticar-me em alguns sítios. O que está acontecendo?
R: Alguns sítios dependem de interrelações de domínios bem complicadas e enquanto eles gerenciam o reconhecimento em certos domínios através de um canal seguro HTTPS, eles precisam propagar a autenticação por vários domínios que não suportam HTTPS. […]

Ainda segundo o Giuseppe, o FAQ descreve a solução de maneira detalhada. Mas como ele é um cara bacana e resumiu a "solução detalhada" em uma linha, resolvi valorizar o trabalho do sujeito e seguir a sua dica aqui. E funcionou lindamente! Basta abrir a janela de opções do NoScript, clicar na aba "Avançado", selecionar a aba interna "HTTPS" e depois a outra aba "Cookies" (céus, três níveis de abas! não é à toa que a primeira se chama "Avançado" ). Acrescente, no espaço abaixo de "Ignore unsafe cookies set over HTTPS by the following sites:", o endereço do FriendFeed (friendfeed.com), clique em OK e pronto! Autenticação reativada.

Ah, e depois de implementar isso, percebi que o Twitter também está com o mesmo problema. E a mesma solução… ;-)

Portanto, fica aqui o meu agradecimento ao Giuseppe, ou melhor, já que ele é italiano, grazie Giuseppe

P.S.: Repararam na piada pronto aqui? O nome do blog (e sobrenome do autor) que resolveu a minha aflição é: cunsolo

“Read It Later”, a salvação dos leitores compulsivos de artigos on-line

Se você, como eu, é uma daquelas pessoas que têm 30 abas abertas no Firefox porque sempre tem algum artigo ou referência interessante que "vai ler depois", essa extensão é um achado. O nome da criança é Read It Later e ela faz justamente o que o seu nome diz: permite que você armazene referências a páginas para leitura posterior.

Junto à extensão, tem também um serviço web. Assim, caso você deseje, pode sincronizar sua lista de "não lidos" com o servidor remoto e acessá-la de qualquer lugar. Inclusive, se você instalar a extensão em outros navegadores, ela já faz a sincronização automática.

Um último recurso muito interessante é a leitura off-line. Ele baixa as páginas marcadas e você pode lê-las mesmo desconectado da Internet. Quem viaja muito vai adorar essa opção… Ah, e pra quem não é muito versado em idiomas estrangeiros, a extensão já está toda traduzida para o português! 

Veja no vídeo abaixo uma demonstração bem didática do seu funcionamento.

Já virou uma das minhas extensões obrigatórias…