Tardio, mas não ausente, meu relato sobre o LaKademy 2018

Mais de um mês depois, finalmente consegui me organizar para falar um pouco sobre o LaKademy 2018. Esse evento, que é o encontro latino-americano dos desenvolvedores e contribuidores da comunidade KDE, aconteceu esse ano em Florianópolis, do dia 11 ao dia 14 de outubro. Mais detalhes sobre o evento podem ser encontrados nessa bela matéria, publicada no sítio web da comunidade KDE Brasil.

Essa foi minha terceira participação e, como nas edições anteriores, meu foco foi na organização, planejamento e execução de tarefas relacionadas à tradução de softwares e documentação. Detalhes mais adiante nesse artigo.

O trabalho, como sempre, foi árduo. Chegávamos ao local do evento por volta das 8:30h da manhã e nunca saíamos antes das 18h. Entretanto, a energia do LaKademy é tão boa que nem sentíamos as horas passando. E é sempre um prazer enorme poder reencontrar os amigos antigos da KDE, bem como fazer novas amizades.

E dá-lhe povo trabalhando!

E por falar em novas amizades esse ano foi bem especial. Além de contarmos com a maior participação de pessoas até hoje em um LaKademy (23 pessoas!), tivemos, dentre essas a presença da professora Karina Mocheti, que levou seis dos seus alunos (Carlos Henrique, Edoarda, Fernando, Hugo, Lucas e Luan)  de Ciência da Computação da Universidade Federal Fluminense de Niterói. O objetivo deles era trabalhar as aplicações do pacote KDE Edu. E, de cara, já foram pra cima do GCompris, Kalzium, Rocs e Kturtle. Nossa esperança é que eles continuem atuando nesses e em outros softwares da KDE. Aliás, entre os frutos desse LaKademy temos a correção de um bug antigo e chato do script que baixa/atualiza os arquivos de tradução das aplicações KDE. A codificação de caracteres estava errada e mostrava símbolos no local dos acentos. Esse erro foi corrigido pela Edoarda (que já mostrou pra essa comunidade a que veio) e já está disponível no repositório (é a versão 5.1).

Fizemos também a tradicional reunião de promo, onde discutimos formas de atuação da comunidade para os próximos meses. Uma discussão que ocupou grande parte de nossa reunião foi a priorização de uma comunicação não violenta em nossos canais de comunicação. Não só praticar essa comunicação como estimular as outras pessoas a adotarem esse tipo de abordagem. Estamos também com a proposta de tentarmos participar mais ativamente de eventos no próximo ano, para divulgar mais a nossa comunidades e nossas aplicações. E claro que rolou a não menos tradicional foto do grupo, que ficou muito linda com as camisetas desse ano.  ;-)

Esse povo não cansa de ser bonito não? ;-)

Por fim, por uma feliz coincidência, o aniversário da KDE coincidiu com o último dia do evento. Com isso tivemos comemoração com direito a bolo e refrigerante (e mais uma foto).  :-D

Comunidade que comemora aniversário unida, permanece unida!

E as traduções? Como ficam?

Nesse ano conseguimos avançar um pouco mais em relação a uma melhor forma de trabalharmos o fluxo de traduções. Explicando de forma bem breve, atualmente um grupo de tradutores possui privilégio de desenvolvedor na infraestrutura da KDE e consegue baixar e enviar as traduções diretamente para o Subversion que versiona esses arquivos. Estamos então com a proposta de criar a figura do “tradutor iniciante”, que seria alguém interessado em traduzir, mas que não tenha esses privilégios. Essa pessoa faria as traduções e as enviaria para algum dos tradutores veteranos fazerem a atualização do Subversion. Caso essa pessoa tenha interesse em se tornar um membro participativo da comunidade (e esteja efetivamente contribuindo), após algum tempo ela receberia os privilégios de desenvolvedor e poderia enviar, ela mesma, as traduções.

Além dessa proposta de fluxo, também criamos um grupo no Phabricator para podermos organizar melhor os nossos trabalhos. Nesse grupo ficarão registradas as atividades em andamento, as atrasadas e as futuras, para que possamos melhor nos organizar em nossos trabalhos. Vamos estimular também a abertura de bugs para erros de tradução encontrados pelos usuários. Atualmente temos pelo menos uma pessoa que abre esses bugs regularmente e tem funcionado muito bem.

Por fim, estamos atualizando toda a documentação do site da KDE Brasil para melhorar o suporte a tradução e também a novos contribuidores. A Camila e a Bianca trabalharam duro no LaKademy em cima disso.

Agora é seguir em frente com a comunidade. E viva a KDE!

Posted in KDE and tagged , , , , .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.