Identi.ca, o microblog livre (de verdade!)

Junte o conceito de microblog com a filosofia do software livre e acrescente a lógica de rede distribuída do Jabber. O resultado é: identi.ca! Pois é, esse sítio simples, com uma aparência espartana carrega um serviço que já ameaça o famoso Twitter.

Mas o que o identi.ca tem de tão especial assim? Afinal de contas, clones do Twitter existem aos montes. Pois bem, os principais destaques desse serviço estão justamente na sua opção pela filosofia do software livre. E ela foi levada aos extremos em sua implementação.

Em primeiro lugar, o programa por trás do identi.ca é um software livre. Seu nome é Laconica. E usa a licença GNU Affero General Public License, ou GNU/AGPL. Basicamente é uma licença GNU/GPL ainda mais "forte": ela obriga a liberar o código-fonte para todos os seus usuários. A principal diferença da GNU/AGPL para a GNU/GPL é que, nessa última, você só precisa distribuir o código-fonte quanto distribuir o software. Pra quem não entendeu a sutileza da diferença, imagine que você monte um serviço web baseado em um software livre (como é o caso do identi.ca). Se você usar o software somente para oferecer o serviço, ou seja, se você não for distribuir o software, somente o serviço, segundo a GNU/GPL você não é obrigado a distribuir o código-fonte do software utilizado. Já pela GNU/AGPL, sim, o que a torna a licença ideal para serviços web. Nem preciso dizer que qualquer um que use essa licença merece o meu mais alto respeito…    E já que o Laconica é software livre, você pode ter o seu servidor de microblog próprio, instalado no lugar que você quiser. Isso abre algumas perspectivas educacionais muito interessantes, como o uso de microblogs em escolas ou projetos educacionais. Também por ser software livre, ele pode ser traduzido. Então, em breve (eu espero), teremos uma tradução para o nosso idioma. 

Em segundo lugar, o conteúdo do identi.ca também é livre. Ele está licenciado sob a Creative Commons Atribuição 3.0, ou seja, pode-se copiar, distribuir, exibir, executar e criar derivados da obra, desde que se indique o seu autor. Pode parecer um pequeno detalhe, mas o Twitter (e outros microblogs que eu conheci) não deixam isso claro. Isso significa que, apesar de parecer absurdo, você pode estar infringindo direitos autorais ao citar algum Twit. No identi.ca você não corre esse risco.

Por fim, seguindo o princípio do compartilhamento e distribuição das informações (também uma premissa da filosofia do software livre) as várias instalações do Laconica podem "conversar" entre si. Isso significa que é possível acompanhar um usuário de outro microblog que também use o Laconica sem precisar se cadastrar em sua rede. Pra quem usa a rede Jabber, é o mesmo princípio, ou seja, não interessa a qual rede Jabber o usuário pertença, todo mundo conversa com todo mundo.

Além disso, o identi.ca possui uma série de recursos legais, além daqueles já presentes no Twitter: botão de resposta em cada mensagem, nuvem de etiquetas geradas a partir das mensagens públicas (as etiquetas começam com o símbolo #), procura por pessoas e textos e RSS por usuário ou geral. E sua API é tão parecida com a do Twitter que é possível utilizar clientes dele com um mínimo de alterações para interagir com o identi.ca.

Portanto, estou começando agora, oficialmente, a campanha: "migrem para o identi.ca". Já não publicarei mais no Twitter e manterei minha conta lá somente para acompanhar o pessoal que eu conheço e que ainda não migrou. Quem quiser acompanhar minhas publicações a partir de agora, é só me procurar aqui…  

“Read It Later”, a salvação dos leitores compulsivos de artigos on-line

Se você, como eu, é uma daquelas pessoas que têm 30 abas abertas no Firefox porque sempre tem algum artigo ou referência interessante que "vai ler depois", essa extensão é um achado. O nome da criança é Read It Later e ela faz justamente o que o seu nome diz: permite que você armazene referências a páginas para leitura posterior.

Junto à extensão, tem também um serviço web. Assim, caso você deseje, pode sincronizar sua lista de "não lidos" com o servidor remoto e acessá-la de qualquer lugar. Inclusive, se você instalar a extensão em outros navegadores, ela já faz a sincronização automática.

Um último recurso muito interessante é a leitura off-line. Ele baixa as páginas marcadas e você pode lê-las mesmo desconectado da Internet. Quem viaja muito vai adorar essa opção… Ah, e pra quem não é muito versado em idiomas estrangeiros, a extensão já está toda traduzida para o português! 

Veja no vídeo abaixo uma demonstração bem didática do seu funcionamento.

Já virou uma das minhas extensões obrigatórias…   

A teia, agora com álbum de fotos

Uma das coisas que eu gosto muito é de fotografias. Espero um dia ter mais tempo (e dinheiro) pra poder me dedicar a isso. Mas enquanto esse dia não chega, vou me virando com o que dá… 

Eu mantinha um álbum de fotos no Fotothing, que era um sítio muito legal pra quem gosta de fotografia, com um caráter mais sério (e não coisas do tipo "fotos do churrascão da turma" ou "eu e minhas amigas na balada sábado"). Infelizmente lá ficou muito poluído visualmente e meio superpovoado pro meu gosto. Assim, perdi a graça de ficar alimentando meu perfil lá.

Comecei a pesquisar então uma forma de manter meus álbuns aqui na rede. Pensei em algo que eu pudesse personalizar mais. Foi aí que eu encontrei o Gallery e resolvi implementá-lo aqui na teia. Depois de várias experimentações, encontrei a maneira ideal de fazê-lo funcionar. Portanto, com vocês, a Galeria da teia

Pretendo migrar minhas fotos do Fotothing e acrescentar novas. Em cada imagem é possível acrescentar comentários e avaliações. Sintam-se à vontade para fazerem suas considerações, ok? Todo retorno é sempre bem-vindo. Ah, e as últimas 10 imagens estarão sempre disponíveis no início da página da teia.

I Congresso de Tecnologias na Educação

Dos dias 27 a 31 de outubro de 2008 acontecerá o I Congresso de Tecnologias na Educação. Resultado das discussões e produções do grupo Blogs Educativos (que eu sempre cito e recomendo aqui), esse congresse terá um diferencial. Será totalmente à distância, via Internet, de forma assíncrona, usando a plataforma de educação à distância Moodle.

Segundo descrito no sítio oficial, o objetivo é oferecer um espaço para que professores e pesquisadores de todos os níveis de ensino, usuários das tecnologias em sala de aula ou em pesquisas, possam apresentar seus trabalhos e trocar experiências, que se refletirão na prática pedagógica.

Além disso, todos os trabalhos aceitos para apresentação serão publicados nos Anais do Congresso e na Revista Tecnologias na Educação (que ainda se encontra em fase de finalização).

As inscrições para apresentação de trabalhos estão abertas até o dia 25 de setembro. Os que forem aprovados terão o seus aceites encaminhados para seus autores até o dia 20 de outubro. Já os interessados em participar sem apresentar trabalhos podem se inscrever até o dia 24 de outubro.

Maiores informações sobre o congresso, a inscrição e a apresentação de trabalhos podem ser obtidas em sua página oficial ou no seu blog (que tem desenhos e letras bem grandes)… 

Displacements, uma interessante manifestação artística

Displacements é o tipo de arte que eu gosto. Primeiro porque é uma instalação (e eu adoro instalações!) e segundo porque o autor parte de uma idéia aparentemente simples para gerar um resultado inusitado.

O seu idealizador, Michael Naimark, montou, no local da exposição, uma típica sala de estar estadunidense e filmou a interação de pessoas com o ambiente usando uma câmera fixa em um pedestal giratório, que ficava no meio da sala. Depois a sala e TODOS os elementos dela foram pintados de branco. A partir daí, usando o mesmo pedestal giratório, o filme produzido era projetado no ambiente, que se tornava uma "tela de projeção 3D", gerando um efeito interessantíssimo. Entrem na página do trabalho e dêem uma olhada pra entender melhor o processo.

Existem duas edições desse trabalho. A primeira, realizada entre 1980 e 1984, os protagonistas eram um jovem casal. A segunda edição, realizada em 2005, mostra o mesmo casal, agora na meia idade, junto com a filha adolescente.

Existem também outros trabalhos na página projects. E tem umas coisas bem interessantes por lá. Vou olhar com mais calma depois. Quem sabe não viram outros artigos aqui na teia?