WiZiQ, uma “sala de aula virtual” com recursos interessantes

Existe um sítio bem interessante para os interessados na área educacional. É o WiZiQ. Ele oferece funcionalidades para pessoas interessadas tanto em ensinar como em aprender. As pessoas se cadastram no sítio e, ao fazê-lo, elas se tornam alunos. Com isso elas podem participar de sessões oferecidas por outras pessoas, com status de professor. O interessante é que qualquer um pode se tornar professor. Basta preencher um formulário com detalhes sobre o que gostaria de ensinar no sítio.

O WiZiQ ofere um calendário para agendamentos de sessões, a possibilidadede envio de material nos formatos ppt, pps, pdf, swf, doc, docx, xls, and xlsx (sim, não oferece suporte ao formato ODF, o que é uma falha) e uma "sala de aula virtual", que possui suporte a áudio bidirecional, bate-papo e quadro de apresentações. E tudo isso gratuitamente, basta se cadastrar. Infelizmente o sítio encontra-se todo em inglês, o que pode ser uma barreira inicial. Mas nada que um pouco de prática possa superar, pois o uso do sítio é bem intuitivo.

Os professores podem oferecer aulas on-line ou presenciais e podem cobrar por isso. Assim, o sítio acaba funcionando também como uma espécie de "classificados" para professores.

É um serviço bem promissor e que abre possibilidades interessantes para a área educacional. Pena que não apresenta suporte a ODF, mas isso é algo que, talvez, possa ser modificado no futuro. Espero que eles considerem essa possibilidade.

É Natal! Torne-se um elfo!

O Natal está aí. Se você adora o Papai Noel e sempre quis trabalhar como seu ajudante, sua chance chegou! Bom, pelo menos você tem a chance de se parecer com um ajudante de Papai Noel. Entre no sítio abaixo:

http://www.elfyourself.com/

e torne-se um legítimo elfo de Natal! Eu disse de Natal, ok? Não é o Legolas nem nenhum outro elfo do Senhor dos Anéis, mas sim aqueles outros que fazem trabalho escravo para o bom (??) velhinho.

Funciona assim, você manda uma foto do seu rosto (e de até mais três pessoas) e o sítio monta uma apresentação de dança bem “natalina”. É brega, é estranho, mas é muito engraçado. Especialmente se você colocar fotos divertidas.

E então, o que está esperando? Torne-se um elfo!!! 😉

Remoção, sem dor, de dependências de metapacotes no Aptitude

Os usuários da Debian que, como eu, preferem o aptitude ao invés do apt-get costumam esbarrar em um problema: quando se instala um metapacote, a remoção de qualquer um dos seus componentes acaba removendo também todos os outros pertencentes a esse metapacote. Por exemplo, caso você instale o metapacote KDE, para ter o ambiente KDE completo, e queira remover um programa que não use, por exemplo, o educacional Kiten, ele irá remover TODOS os outros programas do pacote, ou seja, o seu KDE inteiro.

Isso acontece porque os programas pertencentes ao metapacote são marcado como se estivessem sido automaticamente instalados para satisfazer uma dependência. Assim, ao remover um deles, o aptitude entende que, uma vez que os outros pacotes foram instalados como dependências, eles não são mais necessários e os remove também

Uma forma de resolver esse problema é marcar os pacotes como se eles tivessem sido instalados manualmente. Para isso, pode-se usar o parâmetro unmarkauto na linha de comando do aptitude, seguido do nome do pacote. No nosso caso, em que queremos desmarcar o metapacote kde, a sintaxe ficaria da seguinte forma:

aptitude unmarkauto kde

Uma outra forma é entrar no modo interativo do aptitude (digitando o nome do comando sem nenhum parâmetro), marcar o pacote (ou metapacote) e pressionar a tecla m (minúscula). Isso terá o mesmo efeito.

Testador de expressões regulares

Expressões regulares estão entre as ferramentas mais poderosas em programação e scripts shell. Mas, devido à sua complexidade, é fácil cometer algum pequeno engano que comprometa o seu bom funcionamento.

Mas já existe uma solução muito engenhosa para ajudar nessa tarefa, o RegexPal, um testador de expressões regulares em JavaScript. Seu uso não poderia ser mais direto: você coloca o texto a ser afetado no campo de baixo e vai construindo a expressão no campo de cima. Assim, você vê o resultado instantaneamente. É simples e rápido. Uma mão-na-roda.

Engenharia social em vírus do MSN Messenger

Estava eu aqui usando o computador quando recebi um aviso de que uma amiga havia conectado no MSN Messenger. Quase imediatamente chega a seguinte mensagem dela:

(22:13:47) e ai blz
(22:13:47) noooooo olha as fotos da RENATINHA pra vc q pouca vergonha desse doida
(22:13:47) http://comunidade-orkut-noticias342.serveblog.net
(22:13:47) nossa foi mal nao e pra vc nao
(22:13:47) nao olha nao por favo

Bom, o que qualquer ser humano, falível e curioso faria numa situação dessas? Clicaria no belo link que apareceu (sim, o endereço da terceira linha veio como link). E essa infeliz criatura, provavelmente acabaria infectada.

Esse é só um dos vários exemplos de vírus que estão circulando atualmente pela rede MSN Messsenger. Já havia recebido alguns antes. Mas esse me chamou a atenção pela genialidade. Veja bem, se alguém que você conhece te manda uma mensagem do tipo: "olha só essas fotos da fulaninha", se você não conhece a fulaninha, desconfia logo de cara. Entretanto, esse vírus "finge" que mandou a mensagem pra pessoa errada. Assim, eu posso nunca ter ouvido falar da "doida" da Renatinha, mas eu vou acreditar na mensagem, uma vez que ela não era pra mim. E isso serve pra atiçar duplamente a curiosidade: pelo teor da frase e pelo fato de ter caído "acidentalmente" em nossas mãos.

Claro que uma olhada rápida no endereço a ser aberto já serve pra desmascarar a fraude. E repare também que todas vieram no mesmo horário (inclusive os segundos iguais). Seria impossível para uma pessoa digitar tão rápido. Mas infelizmente a maioria das pessoas não presta atenção nessas coisas.

Por isso, fica o alerta, NUNCA abra links que receber via MSN (ou qualquer outro tipo de comunicador instantâneo), a não ser que esteja esperando por eles. E sempre confirme com a pessoa do outro lado se ela realmente te mandou aquilo. Claro que ajuda também se você usar um sistema operacional decente, como o GNU/Linux… Smile